A verdade espiritual da prosperidade através do Tarot

Os sólidos platônicos

Platão concebia o mundo como sendo constituído por quatro elementos básicos: a Terra, o Fogo, o Ar e a Água, e estabelecia uma associação mística entre estes e os sólidos. Na matéria há porções limitadas por triângulos ou quadrados, formando-se elementos que diferem entre si pela natureza da forma das suas superfícies periféricas. Se forem quadradas temos o cubo, ao qual Platão faz correspondência com a Terra, e o cubo platônico possui as 3 dimensões que conhecemos no plano físico: a altura, a largura e o comprimento. Quando olhamos para a simbologia do número 4, compreendemos que ela está associada aos 4 elementos e que também representa a estabilidade e o equilíbrio, como os 4 pés de uma mesa.

4 de Ouros
Rider Waite-Smith Tarot

O número 4 é um número que representará a solidez, a estabilidade, a ordem, o domínio sobre a matéria, como expresso no arcano maior de número 4, O Imperador.

Mas para compreender os segredos da prosperidade, tomaremos como exemplo os arcanos menores do naipe de ouros, que representam o elemento terra, os assuntos materiais, as finanças e o bem estar físico, partindo do número 4.

Todos nós somos seres criativos e dotados de talentos, sejam quais forem. No exemplo do 4 de ouros, temos o indivíduo que atingiu êxito material a partir de suas criações e do seu trabalho. Entretanto, a natureza de ouros e do ser humano é conservar o tradicional e recear as mudanças. De fato, as mudanças costumam alterar a segurança e o equilíbrio que nos foi ensinado a conseguir e, uma vez que tivermos êxito, não deveríamos tratar de conservá-lo?

Este pensamento levou muitas pessoas a continuar triunfando, enquanto outras foram levadas a perder tudo o que esperavam conservar. O 4 de ouros marca um período de estabilidade material, a preservação dos recursos patrimoniais, mas também a necessidade de manter as suas posses. Para compreender a essência da prosperidade, primeiro precisamos compreender que a essência da estabilidade é o movimento. A energia deve fluir e estar em constante movimento para que não gere desequilíbrio, no momento que o dinheiro, enquanto energia de troca, reside em um único ponto estagnado, gera escassez em outro ponto.

O dinheiro precisa estar fluindo em circulação, assim como tudo na natureza e no universo.

Com isso podemos dizer que existe uma grande diferença entre o “reter” e o “economizar”. Quando retemos, detemos o fluxo da energia financeira, estancando aquilo que precisa estar em movimento, ao passo que economizar é direcionar a mesma energia com sabedoria.

5 de Ouros
Rider Waite-Smith Tarot

Vivemos em um mundo onde as pessoas querem acumular bens, com a falsa ilusão de estabilidade pautada no medo da escassez. O medo do futuro fará com que o indivíduo retenha, e é onde reside a sabedoria do 4 de ouros. O tarot nos ensina uma história interessante. No 4 de ouros o indivíduo atingiu um ponto de equilíbrio financeiro, mas teme por perder esta posição. Ele se torna apegado ao que acumulou, ainda não compreendeu que a verdadeira estabilidade é o movimento e que a prosperidade reflete uma essência espiritual. Consideramos também o 4 de ouros como a carta da ganância, da rigidez de pensamentos e do medo da escassez. O medo da perda e da mudança atrai a crise do 5 de ouros, manifestando a necessidade de transcender a matéria para compreensão da essência espiritual da prosperidade.

6 de Ouros
Rider Waite-Smith Tarot

Após o aprendizado obscuro do 5 de ouros, vemos que a prosperidade tem sua essência na generosidade, não na retenção e no medo. A generosidade tem dois lados, semelhante à balança desenhada na carta do 6 de ouros, onde você pode ser o receptor dessa generosidade ou ser quem compartilha seus recursos com os necessitados, segundo a sua capacidade.

Toda semente traz em si a promessa de muitas florestas. Mas a semente não pode ser guardada. Ela precisa doar sua intrínseca capacidade de gerar ao solo fértil. Ao doar-se, seus fluxos vitais invisíveis manifestam-se materialmente. Assim, quanto mais você dá, mais recebe, porque mantém a abundância do universo circulando em sua vida. Aquilo que não se multiplica pela doação não tem valor, nem compensa ser recebido. Se, no ato de dar, você acha que está perdendo algo, aquele presente não foi realmente dado; portanto não acrescentou nada. Se você dá de má vontade, não há energia por detrás de seu ato.

O mais importante é a intenção que há por trás de dar e receber.

O dinheiro por si só não é ruim, ele é apenas um objeto, um veículo, uma energia de troca. A visão do dinheiro como algo ruim e mau é pura ignorância, mas podemos dizer que o medo e o apego ao dinheiro é a raiz dos males.

Você teme a crise? E se ela têm sido a sua professora espiritual? O que está lhe ensinando?

Quando o sangue em suas veias retornar ao mar,
e a terra em seus ossos retornar ao chão,
talvez então lembrará que esta terra não pertence a você,
mas que você pertence a esta terra.

Se você gostou do artigo, deixe seu comentário! E se deseja saber mais sobre o Tarot, aguarde os próximos posts. Se deseja ser sintonizado no sistema de Abundantia, clique aqui.

Para consultas, clique aqui.
Para cursos, clique aqui.

Texto: Leo Gitano
Obras Consultadas:
E.Waite, O Tarô Universal de Waite – Ed. Isis
Deepak Chopra, As Sete Leis Espirituais do Sucesso– Ed. Best Seller

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s