A força de um ataque psíquico

Diferentes doutrinas de artes marciais, do esoterismo, da filosofia e metafísica apresentam algum conceito sobre a energia espiritual. No Japão conhecida como “Ki”, na China “Chi”, “Prana” para os indianos e “Energia Psíquica” para os ocidentais. É a energia básica que media o físico com o espiritual, através da qual o humor e o pensamento agem sobre o mundo físico. Sendo fluídica e onipresente, os antigos a associavam com o elemento Ar.

Recebemos muitas pessoas que se acreditam vítimas do que é chamado “Magia Negra”, mas para compreender o seu funcionamento e descobrir aquilo que até então passa despercebido, não nos aproximemos do tema bruxaria com um espírito de incredulidade ou de superstição, mas do ponto de vista ocultista e psicológico.

Dion Fortune, renomada conhecedora do ocultismo em seu livro “Autodefesa Psíquica”, diz:
“Se pensamos numa pessoa, estamos em contato com essa pessoa. Se a retratamos com nitidez, é como se estivéssemos face a face com ela. Se a retratamos vagamente, é como se a víssemos à distância. Estando na vizinhança mental de uma pessoa, podemos criar uma atmosfera de pensamentos persistindo em certas ideias que se relacionam com ela. É assim que se processa a cura espiritual; esse poder, contudo, pode ser utilizado tanto para o bem, quanto para o mal.”
Isso pode ser compreendido mais profundamente quando analisamos o arcano menor Ás de Espadas do Tarot, que também corresponde ao elemento Ar.

Ás de Espadas
Rider-Waite-Smith Tarot

Em mãos adequadas a espada é uma arma que pode servir às necessidades da justiça e da retidão, mas quando na posse daqueles que buscam o mal, seu poder pode se tornar totalmente negativo. Em si mesma, a espada nunca é positiva nem negativa, é o seu portador quem faz com que seja usada com claridade, certeza e propósito, ou com ódio e agressão. A espada pode ser utilizada tanto para libertar quanto para ferir. Ela é o pensamento e o verbo, a magia, a energia psíquica.

Fortune acrescenta: “ O modus operandi de qualquer espécie de ataque oculto é a sugestão telepática, seja por parte de uma entidade desencarnada, um ser de outra ordem de evolução, ou uma pessoa desequilibrada, em todos os casos o princípio é o mesmo.” – e continua – ”Toda mensagem à mente subconsciente deve ser expressa em termos muito simples, porque o pensamento subconsciente é uma forma primitiva de atividade mental que se desenvolveu antes que a linguagem falada fosse conhecida pela humanidade. O objetivo primário da sugestão é criar uma atmosfera mental sobre a alma da pessoa, deva ela ser atacada ou curada, até que haja uma resposta ou reação simpática.”

Em termos mágicos, a quantidade de energia psíquica canalizada é essencial, onde a intenção também é um fator indispensável para a realização da magia. Quando um indivíduo deseja realizar um ataque psíquico ou uma cura, primeiramente ele precisa encher sua alma com as intenções do ataque ou da cura desejada, mas o que acontece quando ele faz isso? Ele fere uma nota tônica ressoante com todos os seres que tiverem essa nota como base de sua natureza. Isto significa que tratando-se de Magia Negra, o indivíduo se conecta com todos os seres que estão na mesma frequência vibracional de suas intenções, e que responderão, tomando parte na operação. Ela afirma: “Uma pessoa não pode ser sugestionada para fazer qualquer coisa que é contrária à sua natureza real. Há duas portas, duas apenas, pelas quais o atacante pode ter acesso à cidade da alma humana, e elas são o Instinto de Autopreservação e o Instinto Sexual.”

Considerando a ausência de conteúdo sobre este assunto em uma ótica ocultista resolvi trazer através do Tarot o esclarecimento de como é possível obter vantagem sobre este tipo de ataque, tomando como princípio a essência do arcano A Força.

A Força
Rider-Waite-Smith Tarot

Na ilustração, uma mulher vestida de branco fecha a boca do leão calmamente sem exercer nenhum tipo de força ou brutalidade. O leão está furioso, pois sua valentia é a antítese do medo, e neste caso o leão é a representação de nosso ego, o que nos dá identidade e nos define enquanto um eu individual. O leão teme por ser domesticado, da mesma forma que o ego teme às verdades espirituais, pois sua função é preservar sua identidade. O leão é também um símbolo de nossa “besta interior”, que visa satisfazer unicamente seus desejos, e tem por instinto a autopreservação. Ele é a representação de nossas emoções, impulsos e desejos inferiores, o desejo violento que há dentro de cada um de nós e que deve ser controlado, ou caso contrário, se manifestará ao mundo. No arcano A Força, a mulher não mata o leão, da mesma forma que não aniquilamos o ego. Nós o emudecemos através do controle e da paciência, sublimando nossas reações emocionais instintivas, fortalecendo o caráter para que a aura permaneça indomável e então os ataques sejam anulados.

“Enquanto a aura não for traspassada, não há nenhum acesso à alma, e a aura é sempre traspassada de dentro para fora, pela resposta de medo ou desejo relacionados ao atacante.”

Dion Fortune – Autodefesa Psíquica

Se você gostou do artigo, deixe seu comentário! E se deseja saber mais sobre o Tarot, aguarde os próximos posts ou conheça também nossos cursos.

Para consultas, clique aqui.
Para cursos, clique aqui.

Texto: Leo Gitano
Obras Consultadas:
Dion Fortune, Autodefesa Psíquica – Ed. Pensamento
E.Waite, O Tarô Universal de Waite – Ed. Isis
Sites:
somostodosum.com.br, Artigo: A Energia Ki, Parte 1, por Espaço SELF – Núcleo de Estudos da Consciência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s